Tecnologia
17 de julho de 2012 por Vinicius Perez

Valve: o melhor lugar para se trabalhar

Valve é uma desenvolvedora de jogos. Portal 2 é coisa deles, assim como Half-Life e Left 4 Dead. E, claro, o Steam também. Só por isso você já deve estar desejando trabalhar lá, né? Pois saiba que melhora muito: uns meses atrás vazou o manual para novos funcionários da Valve, praticamente um manifesto sobre a metodologia profissional que eles adotaram por lá. Respira fundo que é fantástico.

Começa pelo prefácio, onde eles avisam que o manual foi feito de maneira colaborativa e, caso tenha vivenciado algo que acha que pode ajudar novos funcionários, é só falar, tá em casa. Logo na primeira página já fica clara a falta de hierarquia, cargo ou outras convencionalidades do trabalho.

Na Valve ninguém vai te direcionar para um projeto. Lá, o funcionário decide o que é interessante para ele e como pode colaborar, decidindo 100% em qual projeto quer trabalhar, sendo até uma iniciativa prépria. Como as mesas da Valve tem rodinhas, todo escritório está em constante mudança. Segundo desenvolvedores da casa, novos funcionários demoram uns seis meses até aceitarem que não vão receber ordens de ninguém e que qualquer trabalho depende de iniciativa (e interesse) deles. Assim, a Valve é uma empresa moldada pelos seus funcionários, seus desejos e ambições:

How does Valve decide what to work on? The same way we make other decisions: by waiting for someone to decide that it’s the right thing to do, and then letting them recruit other people to work on it with them. We believe in each other to make these decisions, and this faith has proven to be well-founded over and over again.

O lance é que eles são uma empresa de entretenimento e contratam as pessoas mais criativas que conhecem. Colocar essas pessoas em mesas e dizer o que elas devem fazer não seria apenas chato mas como também seria uma maneira ineficaz de gerenciar pessoas. Aí tá o truque: a Valve não é nenhum deus dará para quem não gosta de trabalhar, mas sim o exatamente oposto, uma empresa que utiliza o melhor de seus funcionários.

Para Valve, hora extra é sinônimo de falta de comunicação ou planejamento, um sinal de que algo deve ser corrigido. Segundo a empresa, eles precisam de funcionários dispostos e criativos e isso não vai acontecer com o trabalho desequilibrando suas vidas profissionais.

Por lá, ninguém  foi demitido por tentar. Ceder a liberdade para falhar é uma grande característica da Valve – eles não poderiam esperar iniciativas e inovações se punissem pessoas pelos seus erros. E funcionários com iniciativas e vontade de inovar são os responsáveis pelo sucesso da empresa.

Novas contratações são levadas muito a sério: novos funcionários tem que manter o padrão alto e a capacidade de gerenciar uma empresa, afinal, sem chefes, eles também são responsáveis por dirigir Valve.

Nota: 10/10

3 comentários para Valve: o melhor lugar para se trabalhar

  1. Amanda Bernardi disse:

    Indescritível. Um modelo para o mundo.

  2. Pingback: inspiration for life | Pearltrees

  3. Pingback: Novos caminhos para gerenciar pessoas | Coaching e Desenvolvimento Pessoal

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>