Autoconhecimento e paz: um comentário sobre espiritualidade

/

Saber quem somos e como funcionamos é fundamental para encontrar a paz — o autoconhecimento pode ser uma ponte entre espiritualidade e mundo concreto

por Clarissa Lütke capa Flavie Audi

Desde que o mundo é mundo, pessoas buscam espiritualidade. Anjos, cristais, fadas, bruxaria, espíritos, energia, chakras, auras, psicanálise, mente, coração, conhecimento, intuição, matemática. São caminhos que levam à espiritualidade. Há ainda quem veja a espiritualidade por vias mais concretas, na criação de novas realidades, por meio da gentileza e da união.

Durante essa busca, pode existir a tendência de separar tudo em dois balaios: o que é espiritual e o que não é. Mas talvez a espiritualidade esteja em cada parte do nosso dia a dia, nas nossas relações e no autoconhecimento. Conhecer-se é parte fundamental do caminho espiritual. Meditar e entender que nosso comportamento é reflexo dos nossos pais são dois atos que podem ter, no fundo, a mesma motivação.

A consciência de que espiritualidade e autoconhecimento caminham juntos é capaz de abrir uma nova visão sobre espiritualidade, capaz de colocar o indivíduo em mais união com o todo.
Antoni Tápies

Saber quem somos e como funcionamos é fundamental para encontrar a paz, a presença, o potencial universo dos anjos que pode haver dentro de qualquer um. Sim, o universo lindo e abençoado dos anjos — enquanto ele estiver somente fora, a paz que buscamos não durará muito tempo. Enquanto não encontrarmos o céu dentro de nós, podemos olhar, olhar, olhar para o paraíso, mas, assim que fecharmos os olhos, sentiremos o inferno interior — e vamos combinar, ficar “imaginando e olhando o paraíso” não é algo que dura muito tempo, especialmente no momento em que estamos.

O mundo, a natureza, as situações atuais nos têm demonstrado, do lado de fora, o caos interno que temos dentro. Enquanto não conhecermos e mudarmos o lado de dentro, é bem provável que as mudanças externas não se sustentem.

Se todos os seres que estão neste mundo são seres espirituais, o mundo material em que vivemos é um mundo também espiritual. Podemos entender que o mundo externo, material ou não, está constantemente impulsionando o autoconhecimento, trazendo estímulos e provocações pra entendermos como funcionamos e para assim, um dia, conseguir acessar paz dentro de nós.

Versão resumida ×

Exibir texto integral

Vá Além

Monja Coen

Autoconhecimento e o eu imaterial

Sri Prem Baba

Está reclamando?

Comente

Mudando de assunto...

Troca de valores

Lowsumerism

O homem foi tirado da posição de centro do desenvolvimento e muitas das relações humanas viraram comerciais. Vivemos mergulhados no consumismo e a individualidade se tornou a nova bandeira de liberdade (ou seria da propaganda?). Por mais que possamos acreditar que evoluímos muito desde os primórdios, a sensação é a de que crescemos muito pouco quando o assunto é consciência. E já está na hora de fazer esse exercício.

Um novo tipo de moeda: a economia da emoção

Microeconomias

Conforme a análise de dados e a inteligência artificial evoluem para além do rastreamento de respostas para as perguntas mais básicas (Quem? O quê? Quando? Onde?), a computação afetiva continuará a ganhar espaço. Os consumidores em breve vão estar lidando com um afluxo de assistentes inteligentes e emotivos que vão revolucionar a forma como interagimos com a tecnologia. A era da emoção está prestes a transformar tudo o que entendemos sobre a relação homem/máquina.

Pedagogias culturais e novos modelos administrativos

TRANScenGENDER

Desde 2011, quando comecei a pesquisar sobre a experiência vivida de mulheres trans e travestis no Brasil, como já dito por mim diversas vezes, encontrei indicadores que me introduziam a nossa condição de vida precarizada na nação brasileira. Os resultados no Google eram sobre assassinatos, prostituição e humilhação pública de homens famosos que se relacionaram…