Enriquecer não é sobre o quanto você ganha, mas sobre o quanto você gasta

/

Para que você consiga alcançar o que você quer, não tem segredo: você precisa viver com menos do que você ganha.

por Invista como uma Garota

Quem nunca teve um amigo ou parente que ganha menos que a gente e consegue investir ou realizar mais sonhos? Quem nunca pensou “Como que o fulano consegue fazer isso, eu ganho mais que ele e não consigo!

 

Bom, provavelmente o fulano já aprendeu essa lição: poupar dinheiro depende do quanto você gasta, e não do quanto você ganha. A prova disso é que muita gente que tem um super salário, não consegue poupar nada porque tem um padrão de vida que consome toda essa renda.

Vamos supor que você ganha R$ 5.000 por mês. Se você tiver um padrão de vida de R$ 5.000 por mês (ou mais, rs), não tem magia: não vai sobrar dinheiro, logo você não vai poupar nem investir absolutamente nada. Simples assim. Isso sem considerar aqueles meses em que as coisas apertam um pouquinho, aparece um imprevisto e gastamos mais do que o salário. Pronto, já arranjamos um problemão. Para que você consiga alcançar o que você quer, não tem segredo: você precisa viver com menos do que você ganha.

Uma forma ótima de fazer isso e que a gente recomenda demais é você “se pagar primeiro”: caiu o salário, já separe o dinheiro que você vai investir e tire-o da sua conta corrente. Acostume-se a nem contar com esse valor, já tire ele do seu alcance e invista-o. Dá, inclusive, pra fazer isso de forma automática! É só agendar as transferências mensalmente para a sua conta da corretora ou para a sua NuConta ou para a sua conta na Diin. Existem várias opções, só nada de poupança, hein? Você vai ver como isso vai deixar sua vida mais fácil 🙂

E tudo bem se, por enquanto, você não conseguir investir tanto quanto você gostaria. Não deixe de começar por causa disso. Sabe as opções que falamos acima? Em algumas delas, dá pra começar com R$ 1 – é sério, não é pegadinha. Logo, não tem desculpa! Dá pra começar, testar, ver o dinheirinho crescer e ir aumentando a porcentagem da sua renda que você vai investir ao longo do tempo.

Pense que o hábito de poupar é como um músculo: você precisa exercitá-lo para fortalecê-lo, então mesmo que você não vá poupar o tanto que gostaria agora, já se acostume a viver com menos do que você ganha e, principalmente, malhe o seu músculo do hábito de poupar.

Assim, conforme você for ganhando melhor, você vai estar pronta para poupar cada vez mais! E isso é importantíssimo porque quando a gente começa a ganhar mais é que vem aquela sensação perigosa de “tô rycaaaaa”, e é aí que muita gente se enrola e perde a oportunidade de acelerar seus investimentos. Então aqui vai mais uma dica: não deixe seu padrão de vida crescer na mesma proporção que a sua renda! Com o tempo, vá aumentando a porcentagem da sua renda destinada aos investimentos (aos seus objetivos!).

 

Poupar dinheiro depende do quanto você gasta, e não do quanto você ganha.

 

A gente sabe que pode ser bastante difícil viver um degrau abaixo, por isso trouxemos algumas dicas para que você possa aproveitar o seu dinheiro da melhor maneira!

Número 1: pare de pensar “Trabalhei duro a semana inteira, mereço comprar isso, isso e aquilo.

Isso é uma forma de auto-sabotagem. Poxa, se você trabalhou tão duro, você vai jogar esse dinheiro pela janela tão fácil assim? Lembre-se do que realmente é prioridade pra você, senão a conta não fecha, hehe.

Número 2: vencendo os modelos mentais de sempre

Mesmo que experiências sejam mais valiosas do que bens materiais, isso não te dá um passe livre pra gastar com experiências, viagens, shows e etc que não cabem no seu orçamento e vão bagunçar as suas finanças.

Número 3: conheça suas kriptonitas e proteja-se delas!

Assim como a kriptonita enfraquece o super-homem, o que é que normalmente te deixa balançada e te faz gastar com o que não deveria? É exagerar nas cervejas do happy hour? É o shopping? São as compras online ou do Instagram? São os jantares em restaurante? Seja o que for, defina sua estratégia para fugir dessa cilada, Bino.

Número 4: Priorizar prioridades

Não tenha vergonha nenhuma de dizer que alguma coisa não é prioridade pra você e não cabe no seu orçamento agora. Abra o jogo, você vai se surpreender com o quanto as pessoas vão responder com “Nossa, que bom, também não tô podendo gastar“!

Você vai ver, quando começar a ver suas economias crescendo, tudo isso vai fazer sentido e você não vai mais querer parar. Vamos falar sobre isso no próximo texto 😉

 

Versão resumida ×

Exibir texto integral

Comente

Mudando de assunto...

A guerra contemporânea contra o estresse

Quiet Bliss

Em um mundo acostumado a operar em um ritmo inalcançável, produtos e serviços passam a ter o desafio de reduzir os excessos que cercam seus consumidores, reconhecendo o estresse como o inimigo invisível da vida moderna. O alívio vem em forma de breaks digitais e experiências que dão importância às pausas e ao alívio dos espaços revitalizantes.

Desclassificar para enxergar: entendendo as reais motivações do mercado

Youth Mode

Consumidores complexos e paradoxais estão fazendo as empresas repensarem suas formas de segmentar o mercado. Assim como acontece com o gênero e a faixa etária, a classificação não se limita apenas à classe social ou ao poder econômico. “Desclassificar” é olhar para dentro das pessoas buscando entender suas reais motivações. Só assim será possível agrupá-las: por afinidade.

O algoritmo entende de música?

Music Trends

Vamos continuar com um dos fascinantes temas do SXSW esse ano, “O valor da toque humano na curadoria musical”, e lembramos de uma pauta que é quase um bode na sala para todos nós: Algoritmos nas plataformas de música. Todos usamos, estamos separados entre amar e odiar a intervenção de inteligências não-humanas através do algoritmo,…