Categoria: Eventos

Eventos, Infográficos
17 de setembro de 2013 por Clarissa

Encontro Jovens Transformadores

Final do Julho a Fundação Estudar, junto com o Laboratório Estudar, organizou um evento chamado Encontro de Jovens Transformadores. Cem jovens, com ideias em comum, passaram dois dias se conhecendo, se inspirando e alinhando objetivos para juntos, em um futuro próximo, poderem co-criar um Brasil e mundo melhores.

Fomos no evento conferir o que está borbulhando na cabeça dessa “galera mão na massa” e montamos um infográfico para vocês entenderem melhor:

 

Comente
Eventos, Infográficos, Moda
02 de maio de 2013 por Eduardo Biz

A relação das gerações com as joias

No último dia 23 de abril, um evento em Viena, na Áustria, reuniu mais de 300 joalheiros, formadores de opinião e especialistas no mercado de joias do mundo todo. Trata-se do Link Jewelry Summit.

Promovido pela Swarovski e organizado pelo International Herald Tribune, o evento teve como objetivo mostrar como o mercado global vem lidando com a joia e quais possibilidades de inovação podem ser vislumbradas neste segmento.

Parte do evento foi dedicado a discutir as oportunidades existentes nos mercados emergentes. Rony Rodrigues, fundador da Box1824, esteve presente e falou sobre a relação das pessoas com a joalheria, desde os anos 1960 até hoje, e como cada geração lida com este universo.

 

Segundo Rony, a joia desempenha duas grandes funções. A primeira delas é a Materialização do Sentimento. Analisando historicamente a relação da consumidora com a joia, podemos perceber uma grande diferença entre os Baby-boomers (geração nascida de meados dos anos 40 até metade de 60) e os Millennials (nascidos entre os anos 80 a 2000).

Para os Baby Boomers, a joia está muito associada a uma noção de tempo: tanto pelo despendio de tempo (e esforço) que existiu para que aquela joia fosse adquirida, quanto pela noção temporal de passado, presente e futuro.

Existe uma celebração do passado, no sentido de valorizar tudo que já foi vivido em uma relação a dois; a confirmação do presente, mostrando que a relação é mesmo verdadeira; e uma compromisso com o futuro, assegurando que os caminhos do amanhã já estão bem traçados e definidos.

Já para o jovem Millennial, o sentimento afetivo é muito virtual ― e até efêmero ―, e a joia desempenha o papel de trazê-lo à esfera Real da percepção. É uma concretização que traz o sentimento para o Agora, servindo como comprovação de que aquela relação não é uma mera brincadeira, mas sim uma emoção verdadeira e especial; um amor único e maior do que tudo que já se viveu anteriormente.

Outra função essencial da joia é o Adorno. Desde os primórdios da história da humanidade, o ser humano cobre o corpo, e isso se dá por três motivos: sobrevivência (para se proteger do frio e das chuvas); pudor (é um fator presente desde Adão e Eva) e adorno. A busca pelo realce da beleza alia-se à materialização do poder, encontrando no fato de se adornar sua maior realização.

Porém, ao contrário da Materialização do Sentimento, a joia não está sozinha no mercado quando o assunto é Adorno. Quando uma mulher anseia por poder e beleza, existem outros produtos competindo: o sapato também consegue suprir essa entrega, da mesma forma que a bolsa tornou-se um acessório de altíssima desejabilidade, e até os óculos estão neste grupo de “objetos de desejo”.

Entretanto, a Bijoux ainda não atingiu este mesmo nível de desejabilidade. E é aí que temos a grande oportunidade do mercado: a entrada da Bijoux neste grupo de produtos de alta desejabilidade.

Para que isso aconteça, há três caminhos possíveis:

1. Design é o novo Ouro. O design é a chave para fazer com que a Bijoux alcance o status merecido. O design tem o poder te valorar uma peça superior a qualquer material.

2. Incentivar, Inovar e Amadurecer um varejo especializado em Bijoux, assim como sapato, bolsa e óculos conseguiram. É o mesmo pensamento do fast fashion: ele tornou a moda possível para todas as mulheres. Mulheres querem comprar Bijoux, sim! Mas ainda não sabem onde.

3. Aumentar os cenários e as ocasiões de consumo, criando místicas e storytelling. Nos anos 70, se você perguntasse para uma mulher qual seria a ocasião correta para se usar uma bolsa Chanel, ela citaria cerca de três cenários: Ritz, Saint Tropez e ao lado de um homem poderoso. Karl Lagerfeld fez um trabalho incrível de expansão de cenários e ocasiões. Hoje, você pode imaginar uma menina usando uma bolsa Chanel no metrô de Nova York, numa viagem à Índia ou em uma festa indie em Londres.

3 Comentários
Eventos
04 de abril de 2013 por marimessias

O cheiro do espaço

Qual será o cheiro de Marte?

Tenho até medo de saber, mas essa é a proposta do próximo encontro do Scratch+Sniff, um evento da Odette Toilette, centrado no olfato.

Marek Kukula, astrônomo do Royal Observatory Greenwich, vai conduzir o debate, baseando-se no conhecimento da Nasa sobre os materiais que compõem, por exemplo, os gases que cercam Vênus. Além disso, o pessoal também vai falar de perfumes inspirados no espaço.

O evento vai rolar dia 23 de abril, em Londres.

Comente
Eventos, Música
21 de dezembro de 2012 por Desirée Marantes

Iceland Airwaves 2012 – parte II

Continuação do relato da Anita Giansante sobre o melhor festival do mundo

O festival começou no voo de Glasgow para Islândia, com playlists com boa parte das bandas que iriam tocar e o guia oficial sendo distribuído. O choque com a temperatura e vento é grande, mas logo acostuma. Se conseguir agendar um shuttle ou ônibus do aeroporto para a cidade vale muito a pena, pois ele é longe, e como já disse, o taxi sai bem caro. É legal também já trocar dinheiro no aeroporto, se tiver um smartphone baixar um aplicativo de conversão ajuda muito, pois a coversão de moeda é bem complexa (1000 isk são 16 reais).

Fizemos uma média de 7 shows por dia, o que é uma média boa. De manhã enquanto tomávamos café planejávamos o dia, já pensando onde iríamos comer (depois de ter esquecido desse detalhe no primeiro dia, o que quase sacrificou nosso lugar na frente do palco no show do FM Belfast), em muitos lugares onde os shows rolam tem comida, no Hressó por exemplo você consegue comer uma pizza ouvindo o show que está rolando lá fora, descobrimos Half Moon Run assim.

Os shows mais concorridos são: o maior do evento, esse ano foi Sigur Rós, e os que acontecem na igreja, então vale a pena chegar uma hora antes ou até antes para pegar um lugar bom. Agora o resto chegando cerca de 30 minutos é tranquilo, levando em consideração que duram entre uma hora e 40 minutos. É importante pontuar que se você gosta de shows menores, mais acústicos e sem tanto empurra empurra vale a pena ir para lá sem ingresso e curtir apenas os off-venue. O local principal dos shows é o Harpa, que é uma construção maravilhosa desenhada pela Henning Larsen Architects e o artista Olafur Eliasson.  As salas de show tem uma iluminação incrível e a construção é maravilhosa por dentro e por fora, o único problema é que realmente tem bem mais empurra empurra que nos outros lugares.

Todos perguntam “qual foi o melhor show?” a resposta óbvia é Sigur Rós, que foi mesmo um show incrível, mas agora quando lembro do festival o que vem na cabeça é por exemplo Solaris e Daughter na igreja com todos de cabeça baixa de fato curtindo a música, o show do Samaris no museu de arte, bater cabeça no show do HAM, o dia que um mini tufão passou pela cidade e todo mundo andava rindo pelas ruas brincando no vento, curtir o show do FM Belfast com o Olafur Arnalds atrás de nós, fechar a Faktory, chegar num lugar estar tocando uma música incrível e sair procurando no guia o nome da banda.

E no fim vale a pena viajar tanto para ver um festival de música? Bom, na minha opinião vale tanto que já comprei meu ingresso do ano que vem. A Islândia tem algo que faz você rever seus valores e a importância que você para certas coisas em sua vida, o festival foi bem mais que muita música boa, num lugar incrível cheio de pessoas queridas.

5 dicas do festival
- Comprar bebida no free-shop e andar com uma garrafinha, você economiza e dependendo da bebida ela te ajuda sentir menos frio.
- Sim lá é bem frio, mas levando casaco de neve, gorro, meia calça e luvas de frio é tranquilo.
- Ver bandas desconhecidas sem medo, aproveite o festival e a variedade musical que ele tem.
- Não ter vergonha de trocar uma ideia com o pessoal das bandas, sem dar uma de tiete é claro.
- Não queimar a largada, o festival é puxado, se você quer de fato aproveitar todos os dias não se acabe nos primeiros.

Algumas bandas islandesas que você deveria ir no show um dia.
Sigur Rós
FM Belfast
Samaris
Rokkurro
1860
HAM
Apparat Organ Quartet
For a Minor Reflection
Ben Frost e Daniel Bjarnason apresentando o projeto Solaris
Retro Stefson
Sóley
Of Monsters and Men
Olafur Arnalds

2 Comentários
Eventos, Música
19 de dezembro de 2012 por Desirée Marantes

Iceland Airwaves 2012, o melhor festival.

Quem acompanha o Ponto deve ter notado que somos fãs da Islândia. Que país, amigos, que país. Esse ano temos a honra de compartilhar com vocês o primeiro post (de 2) feito pela Anita Giansante, que foi no festival Iceland Airwaves 2012 e gentilmente nos cedeu esse relato contando as peripécias necessárias para planejar a melhor experiência possível nesse que é um dos festivais mais foda do calendário mundial.

O Iceland Airwaves é um festival de música que acontece anualmente em Reykjavik, capital da Islândia. A primeira edição dele foi em 1999 num hangar de avião, hoje o festival acontece em diversos lugares da cidade como livrarias, bares, cinema e igreja.

1860 antes do show no Bar 11

O planejamento para o festival começou cerca de 3 meses antes dele, queríamos escutar todas as bandas para não perder nada, o que no fim até que valeu a pena, pois poderíamos ter perdido shows incríveis por não conhecer direito. Mas querer planejar ao certo em qual dia ver o que é quase impossível antes de sair os horários dos show off-venue (que são de graça, abertos para qualquer pessoa e acontecem a partir das 9 da manhã em alguns lugares). O legal do festival é que você tem várias chances de ver alguns dos shows, principalmente os islandeses. O aplicativo do festival é um salva vidas, pois além de ter a agenda atualizada tem um mapa da cidade com os locais do show, isso ajuda muito, mas como o wi-fi e gps as vezes falham é bom carregar com você o guia de papel do festival e um mapa da cidade.

No centro de Reykjavik.

Comente
Comportamento, Comunicação, Design, Eventos
07 de dezembro de 2012 por Desirée Marantes

Tem gente que acha que não, mas JÁÉ

Sacam o Mesa&Cadeira?

Não?

Tá, seguinte, é basicamente um negócio massa onde tu te inscreve para participar de um projeto que é liderado por uma pessoa *foda* dentro da sua área de atuação/conhecimento e tu tem mais ou menos uma semana pra realizar o projeto. Já rolaram coisas incríveis com o Anthony Burrill, pessoal da Good Magazine, o Marko Brajovic entre outros.

Falei que era massa.

E hoje tem inauguração da exposição “JÁÉ”, que foi criada durante o Mesa que rolou semana passada.

As perguntas que nortearam a criação foram “Como mostrar que o Brasil mudou? Quais os artistas, negócios, movimentos que representam o país hoje? O que é o Brasil que não só promete, mas que já é?”.

E o líder dessa vez foi o português José Cabaço, nada menos que o diretor criativo global de conceito para a Nike. Não riam do sobrenome do cara, uma vez eu conheci um moço que se chamava “Alcione”.

É.

Bom, apareçam por lá.

1 Comentário
Eventos
01 de dezembro de 2012 por Eduardo Biz

Timebox: os últimos eventos de 2012

Eis que chega dezembro, encerrando esse ano marcado por tantos eventos incríveis ao redor do mundo. Na seleção do Timebox deste mês, a arte ganhou lugar de destaque, predominando o calendário. Veja abaixo os 5 eventos mais legais do nosso radar cultural.

Comente
Eventos, Tecnologia
30 de novembro de 2012 por marimessias

Inclusão Digital

Nos dias 27, 28 e 29 de Novembro eu tive a felicidade de participar da 11ª Oficina para Inclusão Digital e Participação Social, aqui em Porto Alegre.

E, na real, o momento não podia ser mais relevante, né.

Uns 2 anos atrás eu vi o Lawrence Lessig falando sobre como Brasil era o país mais revolucionário da nova economia online. Em junho ouvi Falkvinge falando mais ou menos a mesma coisa. Mas neste mês que terminamos tudo isso mudou de figura.

Não sei o quanto vocês acompanharam, mas isso acontece pela aprovação das leis Azeredo e Carolina Dieckmann (é, eu sei, é ridículo esse apelido) que não foi seguida, conforme prometido, pela aprovação do Marco Civil.

Em resumo isso quer dizer que votamos a criminalização e punição de comportamentos sem definir os direitos das pessoas nesse mesmo espectro. Que é mais ou menos aquele sujeito que só sabe do que não gosta e manda prender quem faz isso.

1 Comentário
Eventos
31 de outubro de 2012 por Eduardo Biz

TIMEBOX: OS 5 EVENTOS MAIS LEGAIS DE NOVEMBRO 2012

 

Já conferiu os eventos do mês no Timebox? Tem muita coisa bacana rolando! Veja abaixo os 5 destaques de novembro do nosso calendário cultural.

Comente
Eventos
27 de setembro de 2012 por Eduardo Biz

Timebox: os 5 eventos mais legais de outubro 2012

Inspiração é o que não faltará nos eventos que vão rolar nesse mundão lindo durante o mês de outubro. Música, arte, ideias, cinema, games… Tem pra todos os gostos. Veja aí abaixo os 5 grandes destaques do mês no Timebox, o calendário cultural organizado pela Box1824.

Comente