Dois jogos sobre a Revolta dos Malês

Playing Reality

No dia 25 de janeiro de 1835 uma rebelião de escravizados eclodiu na Bahia. No escuro das primeiras horas da madrugada, talvez fosse difícil distinguir as dezenas de túnicas brancas que corriam pelas pedras irregulares do calçamento das ruas de Salvador. Os homens que as vestiam carregavam facões, porretes e algumas armas de fogo. Corriam…

Realidade mista: amálgama de tecnologias cria virtualidades reais

Playing Reality

Ao longo dos últimos anos, vivemos um crescimento exponencial do uso dos meios pelos quais interagimos — e imergimos — em ambientes digitais. O próximo passo dessa evolução pode nos levar a não mais diferenciar em qual destas múltiplas realidades estaremos vivendo.

Conflitos reais em dramas interativos

Playing Reality

Uma nova safra de games tem colocado em xeque o conceito de que que jogos são apenas sobre ganhar pontos, competir e completar missões. Os chamados “dramas interativos” têm um objetivo maior que o entretenimento, fazendo o jogador refletir e expandir sua mente para temas duros, que trazem à tona seu lado mais obscuro.

Silêncio em tempos de excesso

Quiet Bliss

A quietude tem sido vista como medida essencial para resgatar o equilíbrio e a criatividade pessoal, dando novo status ao silêncio. A valorização da meditação na cultura de massa é uma das evidências dessa corrente, que naturalmente passa a influenciar as relações de consumo. O conceito de No Noise Branding prova que, muita vezes, silenciar comunica mais do que falar.

Sobreposição de realidades

Playing Reality

O princípio comportamental e estético que caracteriza os tempos digitais se chama Databending. Trata-se da sobreposição de camadas de dados que altera significativamente a forma como a realidade é vista e manipulada. Esse movimento provoca a refletir sobre como a mistura de linguagens e universos gera um mundo mais interessante, exatamente porque ele se encontra na fissura entre o real e o imaginário.